Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

mil e quinze

Livros, séries, filmes e muito mais ♥

31
Mar21

LIVROS: A Irmandade do Anel, J. R. R. Tolkien

Vera

A primeira coisa que tenho a dizer, já, antes de qualquer outra: FI-NAL-MEN-TE! Finalmente acabei de ler este livro e eu já nem sei bem porque é que prevaleci. Estou arrependida. Bem, vamos lá começar isto.

 

Como já tinha referido, este ano decidi orientar novamente a minha leitura com base no desafio "Uma Dúzia de Livros". Hoje trago um livro que acabou por ser o mesmo para os temas de Fevereiro e Março: um livro fora da tua zona de conforto e um livro que ainda não acabaste, respectivamente - isto porque ainda não o tinha terminado no final de Fevereiro. E levei mais de dois meses para o terminar, o que francamente me estragou muita coisa na vida: o meu ritmo e hábito de leitura, a minha paciência por si só já quase inexistente, o conteúdo aqui no blog porque não consigo ler mais de um livro ao mesmo tempo e não pude trazer nada de novo nesse aspecto porque esta obra nunca. mais. acabava. Estou arrependida do momento em que pensei "já li metade do livro e estou farta, mas como "só" falta metade vou acabar". Quase levava 50 anos para terminar a segunda metade e sinceramente não valeu a pena em nada.

 

2021-03-30 05.32.07 1.jpg

 

A primeira parte da aventura épica de O SENHOR DOS ANÉIS. Numa aldeia adormecida do Shire, um jovem hobbit é incumbido de uma gigantesca tarefa. Terá de fazer uma viagem recheada de perigos ao longo da Terra Média, até às Fendas da Condenação, para aí destruir o Anel de Poder Soberano, o único gesto capaz de impedir que o domínio maligno do Senhor das Trevas prevaleça. Assim começa a narrativa clássica de J.R.R Tolkien, que continua em As Duas Torres e em O Regresso do Rei. Fonte: Wook

 

Pronto, é assim... Não me matem. Tenho muito respeito pelo Tolkien, pelo seu trabalho, pelo impacto que teve na literatura e a forma como transformou o género de fantasia. Mas não gostei NADA de ler isto.

 

Primeiro, sobre o desafio e o motivo de o escolher. Este livro acabou por se revelar fora da minha zona de conforto por muitas mais razões do que a única que figurava no início, que era o facto de ser um livro de fantasia, algo que não aprecio assim tanto. Passou a ser fora da minha zona de conforto por ter quase 500 páginas, sendo que faço parte daquele grupo de pessoas que têm receio de ler livros demasiado longos por medo de se tornarem aborrecidos e/ou extensivos e/ou exaustivos demais (o que aconteceu aqui, ahahah - isto são risos desesperantes de quem foi levada à loucura por este livro interminável, desculpem). E depois passou a ser fora da minha zona de conforto também pelo facto de Tolkien ter uma escrita bastante descritiva, algo que para mim se torna exaustivo; e neste quesito lembrou-me dois grandes autores portugueses: Eça de Queiroz por este mesmo motivo, e José Saramago porque sinto que uma página de Tolkien são, na verdade, trinta.

 

Eu não sei o que vos dizer mais do que o espanto que sinto com as 1001 maneiras que Tolkien consegue arranjar de descrever árvores, trilhos, florestas... Sinto que a grande maioria das páginas foi a descrever florestas e montes, sobretudo na primeira parte do livro; em termos de história, pouco aconteceu. E já sabem o que é que eu sinto com livros que colocam a história em segundo plano. Mas é que, efectivamente, nem a descrição fez valer a pena a história porque os cenários, no geral, são todos muito parecidos uns com os outros e senti que estava sempre a ler a mesma coisa (montes que sobem e descem e sobem outra vez; curvas, muitas curvas que não deixam ver o que vem de trás; e basicamente é isto...). Na segunda parte melhorou um pouco, mas sinceramente já eu tinha perdido toda a vontade de ler por essa altura.

 

Achei o livro extremamente aborrecido. Volto a dizer que tenho muito respeito pelo autor e pelas suas obras e tudo o que fez, mas este livro e a escrita dele não são mesmo para mim. Foi a segunda vez que tentei lê-lo, e resolvi de facto terminá-lo desta vez, mas posso dizer que até já o pus para venda. Como disse, até estou arrependida de me ter forçado a terminá-lo porque, sendo sincera, já nem o posso ver à frente. Retirou-me todo o prazer de leitura e nos últimos tempos era já só uma obrigação.

 

Outra coisa que tenho a apontar, específica a esta edição que, segundo sei, já nem se encontra à venda, é que na primeira metade do livro a tradução tem imensos erros ortográficos, o que me estragou um pouco a leitura. Como se isso não bastasse, o que me ficou mais marcado neste livro foi ler as palavras "tipo fixe" numa história destas e deste escritor - achei a tradução mais desadequada de sempre a esta obra.

 

Peço desculpa por um post tão negativo, efectivamente não sei se consigo retirar algo positivo desta experiência de leitura. Já sabem que recomendo sempre que consumam as obras e formem as vossas opiniões, sobretudo porque acho que há mais pessoas que, ao contrário de mim, até gostam de ler este tipo de obras mais descritivas e/ou fantasiosas. Se forem como eu, se calhar mantenham-se longe e peguem noutra coisa...  Para terminar, deixo aqui excertos de uma review que vi no Goodreads e com que me identifiquei bastante. É basicamente isto.

 

LOTR1-vert.jpg

 

2.JPG

 

Agora vamos lá ver se recupero o meu ritmo normal de leitura... O que acham deste livro?

29
Mar21

SÉRIES: WandaVision

Vera

WandaVision veio para ilustrar o que disse na publicação anterior e mostrar que efectivamente nem todas as obras da Marvel são clichés cinematográficos para agradar às massas.

 

 

Após os eventos de "Vingadores: Endgame" (2019), Wanda Maximoff (Elizabeth Olsen) e Visão (Paul Bettany) se esforçam para levar uma vida normal no subúrbio e esconder seus poderes. Mas a dupla de super-heróis logo começa a suspeitar que nem tudo está tão certo assim. Eles se encontram, na verdade, dentro de uma constante sitcom, que vai desde a década de 50 até os dias de hoje. Conforme o tempo passa, Wanda e Visão perdem o controle da situação, sem saber mais o que é real e o que é ficção. Adaptado de: AdoroCinema

 

Com um conceito completamente diferente daquilo que conhecemos, WandaVision apresenta-nos episódios que são verdadeiras homenagens às sitcoms mais conhecidas ao longos dos tempos e, à medida que avançamos nos episódios, avançamos também em década. Confusos? Eu explico: o primeiro episódio ocorre nos anos 50, ao estilo de uma sitcom que eu, pessoalmente, não conheço. O segundo na década de 60 e por aí em diante, adoptando sempre o estilo particular da época e das sitcoms mais conhecidas da mesma. Eu, pessoalmente, reconheci Malcom in the Middle, The Office e Modern Family, além de uma referência extra, no último episódio, ao filme The Wizard of Oz! Para além disto, começam a acontecer muitas coisas estranhas que nos fazem questionar o que é que está realmente a acontecer.

 

WandaVision pode ser vista por pessoas que não estão por dentro do universo Marvel mas, como é óbvio, há sempre coisas que não vão ser tão bem reconhecidas e compreendidas sem essa experiência. Eu gostei imenso, não só pelo conceito diferente de qualquer outro antes visto, mas também porque é, acima de tudo, uma série que retrata a dor e o sofrimento decorrentes da perda e do luto de alguém. E fá-lo de uma forma bonita e emocionante que nos deixa a todos, eventualmente, com o coração nas mãos.

 

Para quem está por dentro do universo Marvel, a série também nos traz algumas revelações importantes sobre a Wanda - que talvez nem o sejam para quem está a par dos comics, o que não é o meu caso.

 

De um modo geral, acho que é uma série muito bonita que vale a pena ser vista por qualquer pessoa que seja, que nos proporciona uma experiência diferente daquilo a que estamos habituados (quer na Marvel, quer no geral) e que, acima de tudo, nos conta uma história repleta de profundidade e dor.

 

4.JPG

 

Conhecem a série? Curiosos? Se já viram, o que acham?

27
Mar21

FILMES: Marvel - Fase 3

Vera

Mais uma semana se passou, mais uma fase da Marvel que terminei. Nem sei bem como é que isto aconteceu, já que esta é a fase com a maior quantidade de filmes - quase o dobro das anteriores. Mas comecei a devorar tudo, ansiosa por saber mais e chegar ao fim. Claro que é uma faca de dois gumes: quanto mais depressa vejo, mais depressa sei as coisas, mas também mais depressa ficarei sem muito para ver. Desta vez foram onze filmes e, como habitual, vou falar de cada um deles.

 

Captain America: Civil War (2016)

5.JPG

Um dos meus filmes preferidos e parte do meu top 3. Um filme que conta com o regresso de algumas personagens e a introdução de outras novas. Neste filme, determinadas circunstâncias dividem os super-heróis e põem-nos uns contra os outros. Gostei imenso dessa dinâmica e faz-nos pensar de que lado estamos, bem como no que é que é certo ou errado. Adorei este filme.

 

Doctor Strange (2016)

4.5.JPG

Confesso que fiquei um pouco céptica no início do filme devido ao tema que estava a introduzir (mas que depois acabou por ser algo diferente do que esperava), mas acabei a gostar bastante do filme. Considero que trouxe um elemento diferente aos típicos poderes da Marvel. É mais um filme que nos faz pensar de que lado estamos e qual é a coisa certa a fazer. Introduz também outra das infinity stones.

 

Guardians of the Galaxy Vol. 2 (2017)

5.JPG

Mais um filme que adorei e que integra também o meu top 3. Um filme muito mais maduro que o seu predecessor que, caso se recordem, achei um pouco infantil. Um filme muito bonito e muito emocionante, que nos oferece momentos de tristeza, felicidade, humor e também fofura - esta última proporcionada pelo Groot bebé. Conta-nos diversas histórias e todas elas super bonitas; tem uma história repleta de elementos fantásticos. Neste filme descobre-se a origem do Quill e vemos o lado mais vulnerável de personagens como o Rocket e o Yondu. Gostei imenso deste filme, muito mesmo. É dos mais bonitos da Marvel.

 

Spider-Man: Homecoming (2017)

3.5.JPG

O filme de introdução à personagem que todos conhecemos e que já tinha surgido no Civil War. Sou-vos sincera, nunca vi o Spider-Man do Andrew Garfield, mas vi o do Toby Maguire e nunca achei grande piada à personagem. Dito isto, adorei o que fizeram com a personagem nesta espécie de rebranding do Spider-Man - aqui, retratado como um miúdo adolescente que ainda está a aprender... em tudo. Achei este filme muito juvenil por causa disso, sendo que até vi nele mais um elemento coming-of-age do que propriamente de super-herói. Sendo que já não me identifico muito com alguns elementos juvenis, foi um filme que não me agradou tanto comparativamente a outros. Ainda assim, gosto bastante da personagem em si, gostei do filme e teve um bom plot twist.

 

Thor: Ragnarok (2017)

3.5.JPG

Ao que parece, este filme é o queridinho de muitos fãs e muita gente adorou - já eu, tenho de confessar que não fiquei assim tão impressionada. Não é que não tenha gostado do filme, mas foi muito diferente do que esperava que acontecesse - tão diferente que nem sei bem o que dizer sobre ele. Sinto que andaram a inventar um pouco e, além disso, desperdiçou por completo o final surpreendente do segundo filme da trilogia Thor - que acabou por não dar em nada. Neste filme, houve uma espécie de rebranding - sim, estou a usar imenso esta palavra hoje - do Thor como super-herói e, na verdade, pode dizer-se que também de Asgard. Tem uma das vilãs mais impiedosas e implacáveis do universo Marvel, mas não o suficiente para me deixar de queixo caído.

 

Black Panther (2017)

3.JPG

Confesso que só vi valor neste filme depois de ter lido algumas reviews no final e ter percebido as implicações morais e sociais do enredo e do vilão - fora isso, foi mais um filme que não me impressionou, para além de que, mesmo com as suas diferenças, acho o conceito deste herói basicamente igual ao do Iron Man.

 

Avengers: Infinity War (2018)

5.JPG

Dei quatro estrelas a este filme quando o vi pela primeira vez e, como vêem, subiu para cinco desta vez. É que, como já aqui disse várias vezes, a experiência torna-se completamente diferente quando efectivamente seguimos o fio à meada - muitas coisas ficam melhor explicadas, e outras passamos a reconhecer e compreender de imediato. É mais um dos meus filmes preferidos e que adorei, contando com o regresso de quase todas as personagens. O filme que começa finalmente a focar-se nas infinity stones e no melhor vilão da Marvel até hoje: o Thanos. Um filme onde aconteceu tanta coisa, que nos deixa com tantas emoções e que acaba daquela maneira - eu mal pude esperar por chegar ao desfecho desta história, portanto não quero imaginar o sofrimento de quem teve de esperar um ano para ver a resolução disto tudo. A-do-rei.

 

Ant-Man and the Wasp (2018)

3.JPG

Este filme tem diversos momentos bonitos, mas achei-o bem "normalzinho". Para além disso, continuo a achar a inteligência do Ant-Man muito mal aproveitada.

 

Captain Marvel (2019)

4.5.JPG

Captain Marvel chegou para se juntar ao Iron Man, Loki e Darcy na minha lista de personagens preferidas de todo o universo Marvel. Gostei imenso desta super-heroína e da sua história de origem - bem como da forma como esta história funcionou como um mecanismo de superação para a personagem e como ponto de partida para a sua "autonomia". Gostei muito do filme no geral, do plot twist e de personagens como o Goose. Este filme conta-nos também a história de origem da Iniciativa Vingadores, e pode dizer-se que até do próprio Nick Fury como o conhecemos hoje.

 

Avengers: Endgame (2019)

4.JPG

Talvez por ser o culminar de toda a temática das infinity stones, tinha expectativas elevadíssimas para este filme, que acabaram por não ser correspondidas. Apesar de não ter desgostado do filme, estava à espera de algo diferente e acabei por gostar muito mais do Infinity War. Achei que algumas cenas do início não eram assim tão necessárias, e que o começo do filme parece um pouco "manta de retalhos". Já tinha apanhado um spoiler importantíssimo deste filme há muito tempo, o que foi em parte culpado de toda a antecipação que sentia por ver este filme - e fiquei arrasada quando esse spoiler aconteceu. Achei o final de uma personagem um pouco descabida, por diversas razões que poderia aqui citar se não fossem spoiler. Também achei a solução de todo o obstáculo um pouco óbvia. Mas, de um modo geral, gostei do filme.

 

Spider-Man: Far From Home (2019)

3.5.JPG

Até que gostei do vilão deste filme, bem como do plot twist e também do twist que houve no final. Tem os seus momentos engraçados - como já é habitual nos filmes da Marvel - mas continua a ser um filme um pouco mais juvenil, e por isso nunca me agarra tanto. No entanto, continuo a gostar bastante deste Spider-Man como personagem (e já não vejo mais ninguém a fazê-lo que não o Tom Holland).

 

E pronto, chegámos quase ao fim deste desafio. Estas eram todas as fases que estavam completas. Neste momento, está a decorrer a quarta fase, que se iniciou com a série WandaVision - que também já comecei a ver -, que entretanto já terminou para dar lugar à segunda série da fase: The Falcon and the Winter Soldier. Há várias séries já anunciadas e também outros filmes. E eu estou quase quase a poder acompanhar tudo já em tempo real. Depois virei aqui falar destas novas obras individualmente, conforme vou vendo.

 

Como já tinha dito antes, acho que, mesmo que não apreciemos o género, se torna quase obrigatório ver todos os filmes deste universo, tendo em conta o impacto e o ícone que se tornou no mundo actual. Eu comecei este desafio por mera curiosidade e por sentir essa obrigação, e posso dizer que nunca esperei terminá-lo completamente fã. Nunca liguei nenhuma a este tipo de filmes e achava que não eram para mim. Mas quando se começa a ver do início e a seguir a linha que os criadores sempre quiseram que seguíssemos, desde o início, é uma experiência completamente diferente. Os filmes são muito mais do que os super-heróis típicos, os elementos cliché e efeitos especiais aos montes. Têm personagens com uma profundidade impressionante, histórias maravilhosamente bonitas e emocionantes e quase que nos vão dando peças para irmos juntando num puzzle. Para além disso, em certos filmes eu senti que houve algum esforço de criar sempre um elemento diferenciador, que tornasse os filmes em mais do que apenas "filmes típicos mainstream de super-heróis para agradar às massas", e aprecio muito esse esforço. Para não falar da quantidade imensurável de momentos de humor que estes filmes nos oferecem, e sempre muito bem conseguidos.

 

Em suma, adorei esta experiência, foi completamente diferente do que imaginava e saí dela com um novo amor na vida (ou vários, se contarmos com as personagens que já conquistaram o meu coração). No início de tudo isto fiquei com vontade de ler os comics, mas confesso que mudei de ideias porque, de facto, prefiro ir à surpresa, sem saber nada de nada do que esperar - tanto em histórias, como em temas, como em personagens. É assim que gosto de experienciar aquilo que consumo. E para quem está curioso, aqui estão os quatro filmes que mais gostei de todas as fases, sendo que cheguei a um ponto em que não consigo mais ordená-los por preferência: Iron Man 3, Captain America: Civil War, Guardians of the Galaxy Vol. 2 e Avengers: Infinity War. Quais são os vossos preferidos de sempre? Digam lá nos comentários! E acolham-me neste novo clube de fãs 

21
Mar21

SÉRIES: Servant, Temporada 2 (sem spoilers)

Vera

Esta é basicamente a única série que tenho visto nos últimos tempos, todas as semanas quando saía um episódio. Na sexta-feira terminou a segunda temporada e é disso que venho aqui falar hoje.

 

 

O jovem casal Dorothy (Lauren Ambrose) e Sean Turner (Toby Kebbell) contratam Leanne (Nell Tiger Free) para ser a ama de seu filho recém-nascido. Mas, com o passar do tempo, fica explícito que nada é realmente o que parece. Adaptado de: AdoroCinema

 

A premissa de toda a série é esta. Senti uma relação de amor/ódio com esta temporada. Primeiro que tudo, Servant é muito claramente uma série que trata muito mais da experiência cinematográfica em si do que do enredo propriamente dito. Isso nota-se a milhas e, ainda mais, nesta segunda temporada. E é por isso que tenho sentimentos tão ambíguos em relação a ela: porque em termos da experiência de terror psicológico que ela nos traz é maravilhosa, mas em termos de enredo esta temporada ficou muito aquém das expectativas.

 

A segunda temporada foi uma grande enrolação em que o enredo andou às voltas e às voltas sem chegar a lado nenhum. Houveram, finalmente, algumas revelações - mas que, além de terem sido poucas, souberam a pouco porque, ao verdadeiro estilo de Servant, deixaram muitas mais perguntas que respostas. Para nos dar a experiência cinematográfica de excelência, pôs de parte alguns elementos que são cruciais para fazer qualquer enredo funcionar, introduzindo certos pormenores na história mal executados e/ou que simplesmente não fizeram grande sentido.

 

Em termos da experiência não há outra igual; em termos de enredo sinto que nos levou ao colo uma temporada inteira e nos embalou à espera que funcionasse. Mas não resultou, porque nos levou a dar umas voltas de carro ao quarteirão e nunca saímos do mesmo sítio - fingindo que os poucos elementos sólidos de surpresa chegavam para apreciarmos a viagem. Só que, eventualmente, todos nos cansamos de ver sempre o mesmo a acontecer sem qualquer explicação.

 

Além da experiência cinematográfica, tenho a apontar de positivo o mesmo que teria na primeira temporada: os actores. Sobretudo a Lauren Ambrose, a Nell Tiger Free e o Rupert Grint, que foi uma agradável surpresa.

 

Recomendo muito esta série se tiverem a paciência de ver duas temporadas inteiras - e mais, porque, se não me engano, vai ter quatro temporadas - com muita enrolação no enredo e sem grandes explicações. Recomendo porque vale a pena precisamente pela experiência que ela proporciona. Pelo resto... Já não sei bem.

 

3.5.JPG

 

Conhecem esta série? Se já viram esta temporada, o que acharam?

18
Mar21

FILMES: Marvel - Fase 2

Vera

Pois é, demorei pouco menos de uma semana a terminar de ver todos os filmes que compõem a segunda fase da Marvel. É seguro dizer duas coisas: que estou mudada e que estou fã. Volto a reforçar aqui a ideia do quão diferente esta experiência é quando decidimos ver tudo do início. Conheço tantas pessoas que não ligam a este tipo de filmes e eu era uma delas, mas estou a gostar bastante e cada vez mais de me envolver neste universo da forma "certa". Sem mais demoras, vamos então às mini reviews dos filmes que fazem parte da fase 2.

 

1. Iron Man 3 (2013)

5.JPG

O meu filme favorito da trilogia Iron Man, de todos os filmes que vi até agora e também da segunda fase. Portanto, o meu filme favorito no geral. Iron Man 3 é o primeiro filme e a primeira vez em que nos é mostrado o lado mais vulnerável e frágil de um super-herói. Adorei esse take na história desta personagem e ainda mais quando acontece com alguém como Tony Stark, que nunca mostra qualquer vulnerabilidade. Para além disso, este filme ainda toca em questões de saúde mental, nomeadamente no que diz respeito à ansiedade - não o faz da melhor forma e fá-lo de modo um pouco superficial, mas gostei de terem incluído esta temática num filme deste estilo. Outra razão para ter gostado tanto do filme é que em diversos momentos Tony Stark teve de se desenvencilhar sozinho sem o seu fiel fato de ferro, o que trouxe ao de cima outras qualidades da personagem que ainda não tínhamos visto. Consta que o vilão deste filme foi pobremente retratado e provocou alguma desilusão nos fãs, mas não ligo a isso e para mim é o melhor filme do universo Marvel - pelo menos, até ver, nenhum conseguiu ainda destroná-lo do primeiro lugar.

 

2. Thor: The Dark World (2013)

3.5.JPG

Gostei muito mais deste filme do que do primeiro, e o único motivo pelo qual acabou a ter a mesma nota que o seu predecessor é porque os filmes Thor, devido ao mundo em que ocorrem, estão carregados de efeitos especiais e acabam a parecer muito artificiais, o que não me agrada tanto. Tem diversos momentos fantásticos de humor, com uma das personagens mais engraçadas de sempre, que também fez parte do primeiro filme e, acredito, fará parte do terceiro: a Darcy. Temos aqui retratada a continuação de um dos melhores vilões do universo Marvel e este filme deu-me um momento de gritinhos interiores de surpresa no final. Introduziu também aquela que será uma das temáticas centrais em todo o universo Marvel: as infinity stones.

 

3. Captain America: The Winter Soldier (2014)

3.JPG

Este filme provocou-me alguns sentimentos ambíguos. Gostei muito mais deste em relação ao primeiro, no entanto achei-o um pouco confuso em partes, sendo que aquilo que me impediu de lhe dar maior nota foi o facto de não ter percebido muito bem o porquê da temática central. Não tanto o porquê mas o quando - depois de tantos filmes a mostrarem o funcionamento daquela instituição, parece que se lembraram, completamente do nada, que afinal não era bem assim. Não vi grande sentido nisso. Um aspecto positivo que posso destacar é que gostei mais do super-herói neste filme, retratado com mais seriedade e maturidade.

 

4. Guardians of the Galaxy (2014)

3.JPG

A par dos primeiros três Avengers, este é um dos filmes que também já tinha visto. A melhor forma de ilustrar o que aconteceu é dizer-vos que da primeira vez que o vi lhe tinha dado quatro estrelas, e não três. Gostei mais de Guardians of the Galaxy como filme isolado por ser o que foge mais aos elementos que mais definem a Marvel. Por algum motivo, achei o filme mais "infantil" nesta segunda vez. Apesar de tudo, tem duas das melhores personagens deste universo, que toda a gente certamente conhece: o Groot e o Rocket.

 

5. Avengers: Age of Ultron (2015)

4.JPG

O único ponto negativo foi a incoerência que encontrei no repentino retrocesso de uma personagem que já tinha, aparentemente, evoluído anteriormente. Fora isso, gostei bastante deste filme e do vilão. Neste filme são-nos ainda introduzidas novas personagens, algumas das quais serão importantes no universo Marvel e têm o seu papel noutras fases.

 

6. Ant-Man (2015)

4.JPG

Espero conseguir convencer-vos de tudo o que preciso neste filme com apenas duas palavras: Paul Rudd. Tenho um carinho especial por este actor - se me perguntarem porquê não vos sei dizer - e fiquei agradada de ver que é ele que vem dar a cara a mais um herói da Marvel. Este filme marcou a introdução da primeira personagem da qual eu não sabia absolutamente nada de nada. Achei-o bastante inteligente, tal como o Tony Stark, mas também achei que essa inteligência foi pouco aproveitada no filme. Gostava de ver também o super-poder deste herói a ser utilizado de uma forma menos óbvia. No final, introduz mais uma personagem que será também parte dos super-heróis da Marvel. Por fim, sinto que beneficiou em muito de ser mais um filme separado daquilo que mais caracteriza este universo - o facto de não retratar um dos principais super-heróis deu mais liberdade para fazerem do filme o que quisessem. E resultou bem.

 

De um modo geral, gostei muito mais desta segunda fase em comparação com a primeira. Não só porque deixou de estar presa às histórias de origem dos super-heróis mais conhecidos, mas também porque apostou fortemente na introdução de personagens que actualmente já são um grande nome do universo Marvel e ainda por ter investido no tema que irá ser central e comum às três fases de filmes, culminando na terceira. Como já vos tinha dito, ao envolver-me mais nesta experiência e neste universo, sinto-me cada vez mais entusiasmada e motivada para continuar. Repito que é uma experiência completamente diferente ver todas as obras assim, de início e de seguida; além de já ter consolidado o meu amor por algumas personagens (para os curiosos: Tony Stark, Loki e um bocadinho pela Darcy).

 

Mais uma vez, não podia deixar de recomendar este desafio a toda a gente. Para quem gosta disto: qual é o vosso filme preferido e menos preferido desta fase? Contem-me tudo nos comentários!

10
Mar21

FILMES: Marvel - Fase 1

Vera

Sei que tenho andado desaparecida por aqui e isso prende-se com três razões: 1) perdi por completo a vontade de ver séries; 2) estou a ler o mesmo livro há mais de um mês; e 3) todos os filmes que tenho visto são da Marvel e, em vez de fazer uma review para cada um deles, decidi fazer este tipo de post.

 

Alguém se lembra de eu dizer que filmes de super-heróis não fazem muito o meu tipo; que aprecio de vez em quando mas não adoro? Pois bem, retiro o que disse. Decidi começar a ver todos os filmes da Marvel desde o início; muitas pessoas podem achar que estou a exagerar, mas considero que é um bocado obrigatório, mesmo que não fosse grande apreciadora do género. Em toda a minha vida só tinha visto os primeiros três Avengers. Tive curiosidade de começar tudo do início e era uma ideia que já pairava na minha mente há algum tempo, pelo que decidi que o término do curso era a altura ideal para o fazer.

 

Há duas formas distintas de se verem todos os filmes da Marvel: pela ordem de lançamento ou por ordem cronológica. Eu acabei por escolher a primeira a conselho de várias pessoas, até porque me disseram também que, por ordem cronológica, se apanha pelo menos um spoiler de algo que não é suposto saber para já. A partir daqui foi fácil: pesquisei a ordem dos filmes e apercebi-me de que estão divididos em três fases (com a quarta fase a começar com a mais recente série WandaVision). Terminei agora a primeira e por isso venho aqui falar-vos de todos os filmes, muito resumidamente. Assim, aqui estão os filmes que compõem a primeira fase:

 

1. Iron Man (2008)

4.JPG

Sinto que vou dizer muito isto ao longo desta publicação - pelos motivos óbvios -, mas este foi um filme de introdução à personagem, que nos mostrou a sua história de origem e o que levou, neste caso, Tony Stark a tornar-se no Iron Man. Posso dizer que este foi um dos meus filmes preferidos da fase (aliás, acabei por notar aqui num padrão, mas já vos falo disso mais para a frente). Não conhecia a história de origem deste super-herói e fiquei impressionada com a inteligência abismal dele. Para além disso, agradou-me a naturalidade do filme - sendo que até senti algum receio de avançar neste desafio, porque sei que os filmes vão parecendo cada vez mais "artificiais" conforme vou avançando.

 

2. The Incredible Hulk (2008)

3.JPG

O filme que menos gostei de toda a fase. Acho que apostou tanto no romance (e eu já falo também deste aspecto) que se tornou aborrecido, e a acção ainda demorou algum tempo a chegar. Pena, porque eu até gosto bastante do Edward Norton e estava com boas expectativas. Mas não só o filme foi meh como ele não voltou a ser escolhido para o casting. Portanto, sem ter ainda assistido a todos os filmes, já acho que este deve ter sido um pouco o patinho feio no meio de todos eles.

 

3. Iron Man 2 (2010)

4.JPG

Mais uma vez, um dos meus filmes preferidos desta primeira fase. Aliás, quando ainda só tinha visto os primeiros três Avengers já gostava bastante do Iron Man, e estes filmes só vieram reforçar que ele é, até ver, o meu super-herói preferido. Adoro o carisma dele e o carisma do Robert Downey Jr., acho que o actor é insubstituível e, sei lá, já disse que me impressiona a inteligência enorme desta personagem? Para além disso, este foi, até ver, o único filme onde o romance me pareceu mais verosímil e natural.

 

4. Thor (2011)

3.5.JPG

Gosto de analisar estes filmes para lá do que está na superfície e gostei bastante de este filme me introduzir ao primeiro super-herói que não foi criado pela mão humana. Acho interessante terem criado uma personagem com base na mitologia nórdica, bem como que um dos super-heróis seja um Deus nórdico. Este filme teria melhor pontuação se, mais uma vez, não desperdiçasse alguns dos seus momentos num romance chatinho (começam aqui a notar o meu padrão, ou ainda não?). Ainda por cima porque me introduziu à personagem que acredito que será um dos melhores vilões de todo o universo da Marvel - de quem já tinha também gostado muito nos Avengers, mas saber da sua história de origem conferiu-lhe profundidade e passei a gostar ainda mais dele (não sei se diga o nome para não dar spoiler a quem nunca viu, mas ao mesmo tempo toda a gente sabe, de certeza, de quem estou a falar).

 

5. Captain America: The First Avenger (2011)

3.5.JPG

Não me querendo repetir, mas já o fazendo, este é outro filme que poderia ter melhor pontuação se não fossem os momentos de romance chatinhos (embora estes fossem bem menos comparados aos do The Incredible Hulk e do Thor). Acontece que não estou muito impressionada com esta personagem - pelo menos, até ver -, acho-o o super-herói mais básico de todos, sem grande característica distintiva. Mas o filme foi bom para entreter.

 

6. The Avengers (2012)

4.JPG

Uma introdução - meio atribulada - à Iniciativa Vingadores, com o regresso dos nossos super-heróis favoritos. Dá-nos a conhecer algumas novas personagens, uma delas que, como já vi o 2º e 3º filmes de Avengers, sei que será de extrema importância no enredo. Sinto apenas que houve ali um grande "buraco" no enredo que fazia falta para explicar a evolução de uma personagem - evolução esta que, sem explicação, aconteceu completamente do nada e não fez muito sentido. Tirando isso, diria que já se começam aqui a ver os efeitos especiais mais característicos, tanto da Marvel, como deste género de filmes no geral. Não sei se vejo isso propriamente como algo positivo mas, com a evolução das tecnologias e softwares, é o que é.

 

Ora bem, que mais tenho a dizer, agora de um modo geral? Primeiro, que os filmes que mais adorei seguiram dois padrões: foram realizados pelo Jon Favreau e foram os do Iron Man. Segundo, que eu realmente não acho que romances tenham lugares em histórias desta envergadura mas, caramba, se for para os incluir que o façam de forma mais natural, como aconteceu ao longo dos dois Iron Man, porque senão tornam os filmes um pouco mais chatinhos do que deviam. Terceiro, que é impossível ignorar algumas características cliché deste tipo de filmes (como por exemplo estes mesmos romances, entre tantas outras) mas, dentro do género, existem pontos positivos. E, por fim, que estes filmes começam todos a ter ligações uns com os outros e isso acaba por dar um significado diferente ao acto de os assistir. Sinto-me mais motivada e entusiasmada com este universo à medida que vou percebendo as referências, as ligações de umas coisas com as outras, do que sentia antes, quando via um filme aqui e outro ali e achava só bonzinho para entreter. O envolvimento acaba por ser, naturalmente, muito maior desta forma.

 

Este é um post que eu nunca pensei fazer na vida, e só tenho a agradecer a quem chegou até aqui. Sinceramente, recomendo este desafio a toda a gente - se não gostarem, tudo bem, mas quem sabe se não acaba por vos começar a agradar mais seguir tudo de forma linear, como me aconteceu? Agora digam-me lá: são fãs deste género de filmes ou nem por isso? Team Marvel ou team DC (com o qual também hei-de fazer o mesmo)? Filme e super-herói preferido? Ficaram com curiosidade? Sim, tenho tantas perguntas... Contem-me tudo nos comentários!